imagem em tempo real com puredata

Apresentação online do primeiro encontro na sede do ERRO Grupo sobre as possibilidades de manipulação de imagem em tempo real via puredata para utilização em cena, performance e instalação.

Os encontros são gratuitos e acontecem de 06 a 09 de setembro de 2011 das 14h às 17h30 na sede do ERRO Grupo na Rua Padre Roma, 174 no centro de Florianópolis.

Agradecimentos mais que especiais a artista Sarah Ferreira.

Divulgação do Centro de Artes da Udesc

interfaces vestíveis

Esta pequena apresentação feita para o curso de Desenho Industrial da UNINOVE-SP foi elaborada partindo da ideia de interface como um meio de comunicação entre o ser humano e dispositivos tecnológicos que ampliam nossa capacidade de interagir com o mundo manipulando informações de modo cada vez mais direto e instâtaneo.

Os dispositivos estão cada vez mais agregados ao corpo e tem seu desenvolvimento muito ligado ao binômio informação e tempo. Exemplos como o relógio de pulso de Santos Dumont para medir o tempo de seus voos, passando por celulares e gps e chegando ao sistema “sixthsense” do MIT são utilizados para ilustrar esta linha de pensamento.

Também se apresenta duas grandes vertentes investidoras de interfaces vestíveis: a pesquisa na área de saúde para próteses e mecanismos inteligentes que ampliem a capacidade de comunicação e vida de pessoas portadoras de maior restrição corporal; e a pesquisa na área militar-aeroespacial com as vestimentas de astronautas que visam possibilitar condições de sobrevivência do corpo em gravidades e atmosferas diferentes da Terra.

Já o recorte escolhido para demonstração dentro da comunicação e das artes foram trabalhos que passaram por aqui no evento “Atelier de Cyber-Costura” e de brasileiros que a algum tempo tem a temática do corpo e do fluxo de informação que este manipula no espaço que habita.

Ainda vale a pena citar dois livros não diretamente ligados a interfaces vestíveis no seu sentido mais estrito, mas que abrangem idéias gerais sobre este assunto: “corpo e comunicação” da pesquisadora/professora Lúcia Santaella que fala do sistema háptico (conhecido como tato ativo) e sua relação com a apreensão do mundo e o “cultura da interface” do Steven Johnson.

Agradecimentos as professoras Clarissa Ribeiro e Milena Szafir. E um agradecimento especial a pesquisadora Gabi Carneiro.